7 maneiras de ficar com um corpinho fit até ao verão

Standard

     Bem meu caros amigos, com o aproximar do verão todos temos o mesmo desejo, desejo esse que muitas vezes vai passando de ano para ano, isto é ficar fit para poder ir para a praia e deixar as meninas e os meninos loucos. Ah pois é, até parece que sei ler as vossas mentes.

       Deste modo parece que tenho uma eventual solução para o vosso problema, a Agentocracy aliou-se ao Homes Place e aos seus nutricionistas para ter sempre os nossos atletas em forma e o nosso músico chamativo para o seu público feminino.

        Aqui ficam algumas dicas:
dumbbell-ios-7-interface-symbol_318-336861.  

Pratiquem exercício físico regularmente mas quando falo em exercício físico, quero dizer mesmo andar, correr, saltar ou até mesmo levantar pesos, desde que se mexam e exercitem os vossos músculos já não estamos mal. Ah mas vejam lá, não são só os músculos dos polegares a trocar de canal de televisão ou das mãos no rato do computador.

depositphotos_59808971-stock-illustration-cartoon-noodle-pasta

2.

 

Consumir hidratos antes do vosso exercício
Quando pensarem em mexer esse corpinho e dar uso aos vossos músculos, lembrem-se de apostar num lanche rico em hidratos de carbono, para que tenham energia e quando acabarem o vosso treino não sintam aquela necessidade excessiva de ir ao MacDonalds comer uma vaca inteira! Mas vejam lá não se ponham a comer um pacote inteiro de massa antes de irem correr, é capaz de dar mau resultado….
1617542_cartoon-homem-jogging-branco-fitness-saúde

3.

Tentar manter uma rotina mais activa
Jovens, se não forem grandes adeptos de correr por correr, ou puxar ferro no “gym”, tentem recorrer a outros meios, dêem uns passeios ao fim da tarde com a namorada ou namorado, mas deixem o carro em casa, passem a ir para a escola, faculdade ou trabalho de transportes, assim tem de andar a pé de um lado para o outro. Acordem cedo ao sábado para ir dar uma volta à praia, e lembrem-se assim ainda vêem as vistas!
d31364171430d79b985c0d3f1baebb8c

4.

Uma alimentação saudável, isto é, uma rotina saudável
Já a minha avozinha dizia, de manhã e que é começa o dia, por isso devorem um pequeno almoço de rei com tudo a que tem direito, um almoço de rainha também bem constituído, e um jantar do povo, uma sopa e uma saladinha e está bom, assim não passas tão mal para fazer a digestão e não interessa muitas calorias a noite.

 5.fast-food-cartoon-02

Atenção à fast food!
“Oh Manel “bora” aí ao mac, malhar um cheese?” Epa oh manel não vás! Pensa nas babes em agosto no Algarve! Fast food é muito bom e tal, mas dá cabo dos vossos planos, se vissem a quantidade de calorias que ingerem com uma caixinha de nuggets até se passavam. Portanto Manel se quiseres por protector nas costas das bifas no Algarve aconselho-te a ficar pela saladinha e pelo peixinho cozido em casa.

13764466-bread-in-doodle-style-Stock-Vector-bread-cartoon-food6.

O pão
“Ah uma sandes e que era.” Não, não era, o pão também engorda e muito, portanto se quiserem uma sandocha, esqueçam a pasta de atum e comam mas é uma sandocha de pão integral com manteiguinha sem sal que ainda deixam o vosso coração amar mais um bocadinho, nem que seja pelos dois!

7.

Ai a bebidaimages
Pois é, a bebida também vos estraga todos…. deixem de fazer concursos para ver quem bebe mais loiras fresquinhas e pensem mas é em pagar mais loiras fresquinhas às morenas que tem a frente, mas só se safam se tiverem o corpinho em dia.

 Ah pois malta, se vai ser fácil? De certeza que não, mas pensem nos resultados…

Advertisements

Manuel Alves – Música

Standard

“Estou aqui para que mais ninguém passe por algo similar”

Manuel Alves, antigo aluno do conservatório nacional e considerado um prodígio do fado tradicional pelas pequenas casas de fado que circundam o bairro alto. Dotado de uma mestria impar na técnica de mão direita, fazendo o mais bonito trémulo da guitarra de Lisboa tentou penosamente que o seu engenho com o instrumento desse para viver exclusivamente do mesmo. No entanto, sabemos que a vida das casas de fado é algo bambo e que a realização profissional só se satisfaz, para alguém com um incomensurável talento, quando se faz a ponte para com artistas de renome no meio, como a Ana Moura, Camané, Gisela João, Katia Guerreiro, entre outros.

No entanto, a falta de veículos de proliferação e disseminação da arte de Manuel levaram-no a estar muito tempo sem contacto com notáveis fadistas. Este alongado compasso de espera que durou 8 anos, foi demasiado para alguém com o talento de Manuel que actualmente já faz colaborações com artistas como o Camané e a Gisela João em festivais como o Caixa Alfama.

Para que ninguém mais sofra desta patologia de vocação condensada em duas mãos e que se vê limitada por constrangimentos meramente comunicacionais é que a Agentocracy existe.

 

Diogo Valente – Futebol

Standard

Naquela altura a minha cabeça explodiu!

Era considerado um galáctico desde pequeno no seu clube da terra, onde começou a jogar futebol aos seus seis anos. Aos sete já jogava com os miúdos de doze e embora fosse mais pequeno que todos os outros conseguia fazê-los sentirem-se uns putos. Aos oito o modesto clube já não o conseguiu conte-lo e o Sporting levou-o para Alcochete por 150 euros e 25 bolas de futebol. A partir daí a sua afirmação como criativo de jogo foi cada vez aumentando mais. Quase todos os anos mudou de clube até ao fim da sua formação: Sporting, Benfica, Blackburn, Arsenal, Liverpool, Atlético de Madrid, (por exemplo) até que um problema pessoal assombrou o seio da sua família. Ficara sem pais num acidente de automóvel e, vendo-se sem apoio a sua forma desceu como nunca descera. Apesar da qualidade nunca ter saído, o seu brilhantismo tornara-se fosco. Acabou por continuar no futebol para seu sustento tendo ainda passagens pelo Brasil, Qatar, Arábia Saudita e acabando recentemente a sua carreira aos 27 anos no Portimonense F.C.

Diogo juntou-se à Agentocracy para garantir que ele seja lembrado como dos últimos talentos desperdiçados. Bem-vindo Diogo!

Tiago Cuco – Fight Club

Standard

Se tivesse tido mais cuidado, certamente agora estaria no meu topo de forma…

Quando começou a competir, aos 15 anos de idade, aqui o nosso responsável pela área dos desportos de combate, nunca pensou chamar tanta atenção nos primeiros anos no campeonato nacional de kickboxing. Durante três anos perdeu uma vez (na estreia)! Nesses três anos foi campeão de tudo onde se metia até que aos 18 foi convidado para ir estudar para os Estados Unidos onde foi aliciado pelo sonho de poder ser um lutador profissional de MMA (mix martial arts) ou, até a eventualidade de se tornar uma estrela do UFC.

As coisas não correram bem como estava à espera não chegou a lutar com nenhum Anderson Silva nem nenhum Frank Mir. Sem qualquer acompanhamento acabou por se tornar tudo menos um atleta. O dinheiro dos patrocinadores serviram não para o ajudar na carreira mas para se tornar cliente assíduo de muitos bares de diversão noturno. Esta experiência fora de portas acabou por ser curta comparado ao que seria espectável e hoje ele esforça-se que mais ninguém cometa os erros que ele cometeu. Esta é a sua razão de estar aqui na Agentocracy!

António Reis

Standard

“A sorte procura-se e eu encontrei a Agentocracy”

Antonio Reis, um jovem aspirante a músico profissional, concluiu o 8º grau de piano pelo Conservatório Nacional de Musica de Lisboa e anda à procura de um reduto neste mundo competitivo e voraz da música (em Portugal sobretudo). Frequenta agora o 1º ano de licenciatura em piano pela Escola Superior de Musica de Lisboa e já faz contas à vida. “Depois da licenciatura não conseguirei ingressar em orquestras de renome pois o despatriotismo das entidades reguladoras da cultura preferem nomear pianistas asiáticos com a formação feita em Pequim para o efeito” – Afirma António num tom jocoso.

Desde a sua chegada à Agentocracy que viu o seu leque de repertório ser aumentado abruptamente, desde ser chamado para tocar em casamentos e baptizados até ter sido convidado para actuações em bares lisboetas de renome como o Hennessy’s Irish Pub ou o Havana Bar, sítios onde a sua exposição aumenta consideravelmente.18763319_10210746511312395_1365852780_n

Rita Barreto

Standard

Sem aqueles que me dão apoio, possivelmente jogava metade

   Rita Barreto. Jovem jogadora de 19 anos, criativa do jogo do Belenenses desde a temporada de 2015/16, uma verdadeira surpresa pois apesar de estar em Belém à relativamente pouco tempo já conquistou toda a torcida com toda a sua disponibilidade física e uma técnica acima da média.

Rita descobriu a paixão pelo futebol durante o europeu de 2004 disputado em Lisboa e a partir desse momento nunca mais esse bicho saiu do seu organismo. Jogava no clube da terra nas regionais e participava em torneios de futsal mas é no Belenenses que está a mostrar todo o seu potencial.

Em conjunto iremos tentar atingir os seus objectivos que passam, obviamente, por uma carreira internacional onde o futebol feminino tem mais notoriedade. Caso as boas exibições continuarem como as da época passada será inevitável receber convites de França, Inglaterra ou dos Estados Unidos. Acreditamos que, juntos, atingiremos não só os objectivos mas também os seus sonhos ponderados em silêncio.

Mariana Pacheco

Standard

O meu futuro depende de mim, mas os que me rodeiam são também essenciais

Mariana Pacheco. Aos 21 anos reúne todo potencial para ser considerada uma das referências do kickboxing nacional. Treinada por personalidades de topo na modalidade em Portugal como Dina Pedro e Ricardo Andrade, Mariana têm-se mostrado uma peça importante para a “Dinamite Team”, sua equipa com todo o seu vasto skill em kickboxing e muay thai. Nós na Meritocracy esperamos ser também uma mais valia para esta enorme atleta, um pilar fundamental no seu crescimento enquanto pessoa e profissional com a esperança (e certeza) de que a sua carreira internacional será um enorme sucesso.

Estamos cá para o que precisares Mariana!